livro
 
poesias
     + poesias
 
contos
     + contos
 
frases
 
diversos
     + diversos
 

FEUDAL ATUAL

A sociedade é uma entidade escravista. Ela se arvora (por seus membros) a dona da terra, do ar e da água.
Ninguém vive, mora ou desloca-se, sem sua anuencia.
Quando alguém nasce é registrado, e, paga por isso. Passa a ser então, posse da sociedade.
Ninguém é livre. A liberdade real não existe.
Não se nasce sem pagar. Não se come sem pagar, não se estuda sem pagar. Não se mora sem pagar. Não se viaja ou desloca-se de um ponto a outro sem pagar.
A terra pertence à sociedade por meio de pessoas a quem ela atribui esse direito. A sua passagem, permanência ou uso da mesma, somente pagando. Se quer plantar para comer, precisa pagar. Se quer nadar, pescar ou as vezes chegar as margens de rio ou mar, tem de pagar.
O grau de liberdade fica determinado pelas posses monetárias de cada um. A sociedade é regida e mantida por poderes que se entrelaçam pela corrupção, mas dizem-se autônomos. Eles impõem e fazem cumprir as leis da sociedade, em função do poder aquisitivo das classes.
Por esses motivos a lei é igual para todos os iguais. Como não são todos iguais, ela é mais igual para uns que para outros.
Os menos favorecidos, a maioria, (os párias) aceitam essa aplicação parcial das leis. Isso a sociedade consegue com auxilio de poderes secundários. A submissão física é aplicada pelas forças de segurança e, a submissão mental, pelas religiões.
O Estado é o senhor feudal dos dias atuais.

2001

 

página inicial | biografia | obras | escritos | contato
© Todos os direitos reservados | depas@depas.com.br