livro
 
poesias
     + poesias
 
contos
     + contos
 
frases
 
diversos
     + diversos
 

JOSÉ VAI

Dúvidas de um namorado.


            José vai busca-la às 20 horas. Não pode ser outra hora. Trabalha até depois das 18. Mora longe, lá em outro bairro.

            Preciso dizer que ele gosta que seja às 20 horas, porque ao cinema não dá mais para ir, a primeira sessão já começou, e na outra ela não quer porque acaba muito tarde. Sorte do José, sobra dinheiro pro cigarro e umas pingas.

            Ela quer ir embora cedo. José não reclama, fica cismado mas não reclama.

            - Porque você já quer ir?

            - Não é cedo meu bem, já passa das 10, mamãe fica brava.

            - Tá bem!

            José vai embora, vai cismado. Que será que vai fazer a danada? Será que vai dormir? Ou, vai encontrar outro homem?

            Ele gosta que ela more bem longe de seu bairro. Assim por via das dúvidas, as aparências ficam salvas. No seu bairro não a conhecem. No outro onde ela mora, se ele estiver passando por trouxa, pode descartar-se: - Não era mesmo para casar.

            Se há algum galho e ele não ficar sabendo, casa e leva-a embora dali. Não vai ouvir ninguém falar dele. E ninguém falar dela porque vai para outro bairro onde não a conhecem.

            Bem, mas neste mundo perdido de cidade grande, ela pode ser boa moça. Ainda existem bastante. José sempre foi honesto (até onde é possível) e trabalhador (demais pelo que ganha) porque então ele não há de ser favorecido pela sorte e ter encontrado uma boa moça? Mas tem tanta gente boa e trabalhadora neste mundo que entra em cada fria.

            Sabe, na cidade grande é assim, a gente pega a muié que aparece sem saber como vive e como cresceu. Tem de ir na conversa dela.

            Se der certo, bem. Se não der, sifo. É só partir pra outra.

 

página inicial | biografia | obras | escritos | contato
© Todos os direitos reservados | depas@depas.com.br